poetas, desistam

desistam, poetas,
de conquistar leitores.
a eles, nada devemos.
ao mundo, muito já demos
sutilezas incompreendidas,
belezas despercebidas
e uma trilha de esperança.
por dentro e por fora,
estamos cercados de egos.
poetas, eu lhes digo,
não sucumbam à soberba e à cegueira
da mendicância de afeto.

Advertisements

Deixe seu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s